Black Friday 2019 deve movimentar R$ 3,67 bilhões

Black Friday 2019 deve movimentar R$ 3,67 bilhões / Agência Brasil

A Black Friday 2019, marcada para o próximo dia 29, deverá movimentar R$ 3,67 bilhões. Esta é a previsão da Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC).

Caso isto aconteça, haverá um aumento de 10,5% em relação às vendas do ano passado, que somaram R$ 3,32 bilhões.

A Black Friday já é a quinta data mais importante do comércio varejista brasileiro. Está atrás do Natal, Dia das Mães, Dia das Crianças e Dia dos Pais, respectivamente.

Os segmentos de eletroeletrônicos e de utilidades domésticas devem ser os mais procurados pelos consumidores na Black Friday 2019. Segundo a CNC, o faturamento neste setor deverá chegar a R$ 929,4 milhões. Em seguida, estão os hipermercados e supermercados (R$ 899,3 milhões) e de móveis e eletrodomésticos (R$ 845,5 milhões).

Black Friday online x mundo físico

As vendas por meio de comércio eletrônico (e-commerce) da Black Friday 2019 devem, pela primeira vez, estar muito próximas das realizadas em lojas físicas.

A projeção é da Associação Brasileira de Lojistas de Shoppings (Alshop). Ela prevê para este ano, durante a Black Friday, um faturamento para o comércio acima de R$ 3 bilhões.

O diretor de Relações Institucionais da entidade, Luiz Augusto Ildefonso, disse que as vendas crescem, anualmente, desde 2010 quando a promoção, muito comum nos Estados Unidos, chegou ao Brasil.

“Sempre foi uma distância muito grande. Até o ano passado, era muito mais volumoso o pedido de compras na internet do que na loja física”, disse, lembrando que, até 2017, a Black Friday era voltada, na maior parte, para o comércio eletrônico e a loja física era praticamente um apêndice da data.

A queda na taxa de juros, a liberação de saques do Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS) e do PIS/Pasep (Programas de Integração Social e de Formação do Patrimônio do Servidor Público) e o pagamento da primeira parcela do 13º salário favorecem o cenário de otimismo.

Ildefonso afirmou que o movimento de consumidores nas lojas aumenta na própria sexta-feira que é a data onde, nos Estados Unidos, costuma concentrar o maior número de compradores, que chegam a passar a noite nas filas aguardando a abertura das portas, todos atrás de preços baixos.

“Aqui no Brasil, a Black Friday nunca é em um dia só, mas na sexta-feira, no dia 29 de novembro, a expectativa é que o fluxo de pessoas no comércio vai ser muito próximo das compras na internet neste ano”, disse.

Mais procurados na Black Friday 2019

A Black Friday 2019 deve contar com os smartphones no topo da demanda. Quem compra procura trocar o aparelho atual por um com tecnologia mais nova. O mesmo ocorre com os televisores. Em terceiro lugar, aparecem roupas e calçados.

Veja também:

Conteúdo inspirado sobre a Black Friday 2019 em original da Agência Brasil!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *